" />

M10 Tank Destroyer o caça-tanque baseado no Sherman

O M10 Tank Destroyer foi o caça-tanque mais produzido e serviu tanto o exército norte-americano como os aliados com um total de 6706 veículos, fabricados a partir de setembro 1942 a janeiro de 1944. Mais de um terço de todos os M10 Tank Destroyer foram fornecidos para a nações aliadas sob Lend-Lease.

Quer Fazer Parte de Nossa Lista VIP?
Preencha o formulário ao lado e faça parte de nossa lista VIP e receba as atualizações diretamente no seu e-mail.

Desenvolvimento

Quando o Exército dos Estados Unidos uniu com sucesso o chassi do M4 Sherman com um canhão de 105 milímetros dando origem ao veículo de artilharia autopropulsada M7 Priest foi aberta uma possibilidade semelhante para o surgimento de um veículo caça-tanque dedicado. O M4 Sherman formava a espinha dorsal das unidades de blindados, tanto do Exército norte-americano quanto britânico, sendo muito utilizado nas ações no deserto da África, nas colinas da Europa e no Pacífico. A produção do Sherman atingiu milhares de unidades e o seu sucesso no campo de batalha permitiu que seu chassis fosse empregado em outros projetos.

Tanque de Guerra M10 3-inch Gun Motor Carriage faz parte da Coleção Blindados de Combate da Editora Planeta DeAgostini na escala 1:72. CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.

Tanque de Guerra M10 3-inch Gun Motor Carriage faz parte da Coleção Blindados de Combate da Editora Planeta DeAgostini na escala 1:72. CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.

As autoridades norte-americanas solicitaram um caça-tanque dedicado baseado no chassi do M4 Sherman que fosse utilizado juntamente com as forças anti-tanque, com a missão de vencer as forças de blindados alemães e suas táticas de blitzkrieg. O General Lesley McNair, chefe das forças terrestres, foi o maior defensor deste conceito. Isso ajudou na criação da força de Tank Destroyer, que seriam dedicadas a essa nova doutrina.  As unidades Tank Destroyer deveriam ficar na retaguarda e serem capazes de deslocar-se para deter qualquer avanço dos blindados inimigos, manobrando de forma agressiva para que pudessem derrota-los.

Leia também: Carro de Combate do Exército Brasileiro

Para essa finalidade o novo destruidor de tanques deveria ter considerável mobilidade, além de ser muito bem armado. Equipado com torres o M10 Tank Destroyer era levemente blindado para garantir maior mobilidade, diferente dos blindados atuais. A finalidade era explorar a agilidade e velocidade como uma defesa e ataque, ao invés de uma blindagem mais espessa, dessa forma era possível levar uma arma poderosa muito próxima da formação de blindados inimigos.

M10 Tank Destroyer exposto em uma base personalizada com a descrição do carro de combate e a unidade a qual pertenceu. CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.

M10 Tank Destroyer exposto em uma base personalizada com a descrição do carro de combate e a unidade a qual pertenceu. CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.

Com as condições determinadas o primeiro protótipo foi desenvolvido em cima do chassi do M3, sendo substituído em sequência pelo chassi do M4A1 Sherman, mantendo diversos componentes. Apesar das particularidades com o M4, o motor do novo veículo foi específico tratando-se do motor diesel GM 6-71. A blindagem e armamento foram novos, o canhão padrão instalado foi o M7 de 76,2 mm no protótipo do novo Tank Destroyer, batizado de T35.

O segundo protótipo T35E1 foi montado utilizando o chassi do M4A2 com uma nova torre pentagonal com as laterais inclinadas e bico frontal e traseiro com inclinação invertida. As laterais receberam placas de blindagem plana inclinadas. O armamento externo foi fixado com a adição de contrapesos devido à diferença de peso. Uma cal.50 de 12,7 mm foi montada como armamento secundário, tanto para defesa aérea quanto para uso em solo.

Miniatura do Caça-Tanque M10 do Exército Norte-Americano baseado em Anzio na Italia. CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.

Miniatura do M10 Tank Destroyer o caça-tanque do Exército Norte-Americano baseado em Anzio na Italia. CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.

O protótipo foi então considerado apto a entrar em produção sendo denominado M10 3-inch Gun Motor Carriage (Peça Autopropulsada de 3 Polegadas) e sua produção teve início em 1942.

Armamento

O armamento principal do M10 Tank Destroyer foi o canhão M7 de 76,2 mm com capacidade para disparar granadas perfurantes M79 e M62. Para vencer as blindagens mais espessas o canhão M7 de 76,2 mm também podia disparar granadas perfurantes de alta velocidade HVAP M93 com capacidade de perfurar uma blindagem de aço de até 157 mm com inclinação de 30° a até 350 metros de distância, além de granadas explosivas M42A1.

O armamento secundário era formado por uma metralhadora Browning M2HB de 12,70 mm que ficava alojada na parte posterior da torre. O conjunto de munição incluía 54 granadas para o canhão de 76 mm e 1000 munições para a arma secundária de 12,70 mm.

Motor

O motor estava localizado na parte traseira do veículo sendo constituído pelo General Motors Twin Diesel 6-71 6046. Os dois motores foram dispostos lado a lado em linha cada um de 6 cilindros com potência de 375 CV a 2100 rpm integrados a caixa com cinco marchas à frente e uma a ré.

Miniatura do M10 Tank Destroyer do US Army - Exército do Estados Unidos. CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.

Miniatura do M10 Tank Destroyer do US Army – Exército do Estados Unidos. CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.

Versões do M10 Tank Detroyer

A produção do M10 foi assumida pela General Motors e Fisher Tanque Arsenal em Grand Blanc, Michigan, totalizando 4993 M10 e 375 M10A1 entre setembro de 1942 e dezembro de 1943. A Ford produziram 1028 veículos entre outubro de 1942 a setembro de 1943 e a Fisher produziu 300 M10A1 Turretless que foram utilizados como tratores de artilharia e que, mais tarde, seriam convertidos no M36 Jackson. Em dezembro de 1943 o total de veículos produzidos atingiu a marca de 6706 unidades.

M10A1

O M10A1 recebeu o motor a gasolina Ford GAA, seu chassi foi baseado no M4A3. As últimas 300 unidades receberam a M1 de 76 mm (3-inch), com capacidade de disparar uma munição mais pesada, mostrou-se superior a M7. Contudo, no campo de batalha os M10 tiveram dificuldades ao enfrentar os blindados alemães Panther e Tiger, mesmo com a adição de munição mais pesada os M10 precisavam manobrar ao redor dos blindados alemães para encontrar pontos mais vulneráveis nos combates. Foram construídos cerca de 1700 M10A1.

M35

Cerca de 300 M35 foram construídos para serem utilizados como tratores de artilharia.

A miniatura do M10 Tank Destroyer - Destruidor de Tanques - possui duas estrelas pintadas na torre e nas laterais, uma esta rodeada por um circulo para auxiliar na identificação e evitar o chamado fogo amigo. Essa identificação foi imposta a partir da invasão da Sicília, porém a estrela original sem o circulo foi mantida. CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.

A miniatura do M10 Tank Destroyer – Destruidor de Tanques – possui duas estrelas pintadas na torre e nas laterais, uma esta rodeada por um circulo para auxiliar na identificação e evitar o chamado fogo amigo. Essa identificação foi imposta a partir da invasão da Sicília, porém a estrela original sem o circulo foi mantida. CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.

M10 3 inch SP, Wolverine

Como principal aliado dos Estados Unidos o Reino Unido recebeu muitas unidades do M10 e localmente foi designado como 3 inch Self Propelled Wolverine ou M10 3 inch SP. O apelido de Wolverine nunca foi adotado pelos norte-americanos que preferiam chama-lo pela designação original ou, simplesmente, de TD – Tank Destroyer.

M10 Achilles

Os britânicos também desenvolveram uma variante do M10 Tank Destroyer e a modificação em relação ao veículo original estava no armamento principal. Os britânicos substituíram o canhão de 3 polegadas por um de 17 libras também de 76,2 mm, mas com melhor poder de fogo. A versão britânica era chamada de 17 pdr M10 ou 17 pdr SP M10 Achilles. De fato o canhão era capaz de vencer uma blindagem de 140 mm até 500 metros e 131 mm a 1000 metros de distância. O Achilles carregava até 54 munições para o seu canhão. Ao todo foram convertidos 1100 M10 para o padrão 17 pdr M10 Achilles todos pelo Arsenal Real de Woolwich.

A miniatura do M10 Tank Destroyer esta pintada com a camuflagem típica do Exército norte-americano utilizada no Mediterrâneo, representada pela cor amarelo-terra sobre um verde oliva. CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.

A miniatura do M10 Tank Destroyer esta pintada com a camuflagem típica do Exército norte-americano utilizada no Mediterrâneo, representada pela cor amarelo-terra sobre um verde oliva. CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.

M10 Tank Destroyer na Segunda Guerra Mundial

As primeiras ações do M10 3-inch Gun Motor Carriage aconteceram na Tunísia em 1943 durante a campanha do norte da África. Tiveram relativos sucessos contra os blindados alemães que estavam em serviço na época, mesmo os mais recentes como o Panzer IV. Porém, o seu chassi pesado revelou que o M10 3-inch Gun Motor Carriage não atendia a doutrina militar norte-americana que pregava um caça-tanque ligeiro e muito rápido. Sua torre aberta revelou ser um problema em áreas urbanas ou em florestas, além de serem um agravante com os estilhaços e granadas.

Mesmo assim a tripulação do M10 apreciava a visão diferenciada que possibilitava  identificar os blindados inimigos, se comunicar com a infantaria de forma mais fácil, além de poderem fugir de forma mais rápida quando o veículo era inutilizado. A vulnerabilidade da torre aberta não chegou a ser um grande problema, pois a doutrina do Exército dos Estados Unidos era que o M10 fosse utilizado em conjunto com a infantaria no combate as táticas de infantaria inimigas.

Quer receber GRATUITAMENTE em seu e-mail uma coleção com os mais importantes aviões de combate da atualidade e do passado? Clique no Banner Abaixo e Cadastre Seu E-mail Agora!

Coleção Asas de Guerra Os Grandes Aviões Militares

Novos caçadores de blindados estavam surgindo, o M36 Jackson e o M18 Hellcat apresentavam melhores conjuntos em relação ao M10. Após o desembarque aliado na Normandia, o M10 acabou se mostrando incapaz na luta contra os blindados alemães mais recentes Tiger e Panther, a situação só era favorável com a utilização de granadas perfurantes HVAP M93. Porém, era eficiente contra os blindados Panzer IV e outros de menor blindagem e canhões autopropulsados. Sua permanência em serviço foi assegurada até 1945.

Na guerra do pacífico o M10 foi utilizado para apoiar a infantaria, contudo, sua torre de topo aberta não foi bem vista em comparação com outros blindados que tinham as torres totalmente fechadas. Isso ficou mais evidente nas áreas arborizadas em que atuavam quando os atiradores japoneses escondidos nas árvores alvejavam as tripulações do M10.

M10 Tank Destroyer em miniatura na escala 1:72. Na torre do M10 caça-tanque há duas metralhadoras Browning M2HB de 12,7 mm (.50), uma esta localizada na parte da frente e a outra na parte traseira da torre. CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.

M10 Tank Destroyer em miniatura na escala 1:72. Na torre do M10 caça-tanque há duas metralhadoras Browning M2HB de 12,7 mm (.50), uma esta localizada na parte da frente e a outra na parte traseira da torre. CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.

As equipes também começaram a proteger seus tanques por qualquer meio, incluindo tudo o que podia levar preso do lado de fora em sacos de lona, racks complementares, e sacos de areia, em seguida, acumulando na encosta da frente e volumes de madeira nas laterais. Isso foi particularmente evidente no final de 1944, e a batalha do Bulge, quando as equipes alemão Panzerschreck e Panzerfaust começou a tomar um pedágio. Já na Normandia, a ameaça de Bocage emboscadas instou as tripulações de improvisar telhados blindados com painéis cortados a partir de tanques inimigos. Houve uma anedota sobre um 86 Anti-Tank Regiment (XII Corps) tanque britânico que teve a sua tripulação turret morto e substituído três vezes, mas o motorista e tanque em si permaneceu segura.

Caça-tanque em miniatura M10 Tank Destroyer. A arma principal do caça-tanque M10 é um canhão M7 de 76,2 mm. CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.

Caça-tanque em miniatura M10 Tank Destroyer. A arma principal do caça-tanque M10 é um canhão M7 de 76,2 mm. CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.

Outra falha observado em combate próximo trimestre foi a taxa de viragem lenta da torre, que era a manivela. É necessário um escalonamento de dois minutos para girar 360 graus. O caçador tanque foi concebido para espaços abertos, para manobrar mais rápido do que os tanques inimigos, e como um SPG, o próprio tanque foi trazida para carregar ao mesmo tempo que a torre foi transformada. Foi ainda melhor do que a maioria dos caçadores de tanques alemães, que eram SPGs puras, com avanço limitado. O cal.50 Browning (12,7 mm) também se mostrou uma solução para “clean-up” o entorno em bairros próximos. Em geral, as estatísticas mostraram que a M10 gasto muito mais completa do que as HE PA, indicando que eles estavam mais geralmente usados em papéis de tanques, em vez de caçadores tanque puros.

Com a França livre

Dezenas de M10 foram enviados para uso com o 1º Exército Livre Francês, liderado pelo General De Lattre. A utilização do M10 pelos franceses eram semelhantes às táticas usadas pelas unidades de Tank Destroyer norte-americanas. Tiveram forte participação em combates a partir da Riviera Francesa até a libertação da capital francesa, Paris, em agosto de 1944. Foram utilizados na fronteira franco-alemã em torno de Estrasburgo e no sul da Alemanha, além da Indochina no pós-guerra.

M10 Tank Destroyer foi um caça-tanque utilizado na Segunda Guerra Mundial. Foi construído tendo como base a carcaça do Tanque de Guerra Sherman M4A2. CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.

M10 Tank Destroyer foi um caça-tanque utilizado na Segunda Guerra Mundial. Foi construído tendo como base a carcaça do Tanque de Guerra Sherman M4A2. CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR.

M10 com o Exército  de Libertação da China

A China recebeu alguns M10 Tank Destroyer que haviam sido desmilitarizados, um deles foi rearmado com um canhão de 150 mm japonês, a modificação ainda contou com a instalação de uma luz na torre que servia de observação e uma porta de acesso. A instalação de uma metralhadora no arco do casco também foi providenciada. Estas modificações foram consideradas positivas dando sequência a outros dezesseis.

M10 com o Exército Vermelho Soviético

O Exército Vermelho também operou o M10 Tank Destroyer, foram 54 unidades, mas sua utilidade foi bastante questionada. A deficiência na proteção e o baixo poder de fogo foram fatores que selaram o baixo rendimento do M10 em serviço com as forças do Exército Vermelho.

Características Técnicas do M10 Tank Destroyer

Tripulação: 5 homens
Comprimento: 6,83 m
Largura: 3,05 m
Altura: 2,57 m
Peso: 26.600 kg
Motor: General Motors 6046 Dupla Diesel motor 6-71 de 12 cilindros gerando 375 cavalos de potência a 2.100 rpm
Depósito de Combustível: 560 litros
Velocidade Máxima (estrada): 51 km/h
Velocidade Máxima (fora da estrada): 40 km/h
Autonomia: 300 km
Armamento Principal: Canhão M7 de 3 polegadas (76,2 mm).
Armamento Secundário: Duas metralhadoras Browning M2HB de 12,7 mm (.50).
Blindagem Frontal: 64 mm
Blindagem Carcaça: 15 mm

Vídeo da Miniatura do Blindado de Combate M10 Tank Destroyer

Sobre Adriano Alves

Começou a escrever em blogues em 2009 como convidado e não parou mais. Hoje escreve em quatro blogues, trabalha em uma empresa como Analista de Suporte Técnico e tem como hobby ler, estudar, ouvir música, assistir filmes e seriados e, principalmente, colecionar miniaturas militares.

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Scroll To Top

Faça parte de nossa lista VIP!

Você quer ser o primeiro a receber nosso conteúdo? Basta cadastrar seu e-mail agora.

Thanks for subscribing. Please check your emailPlease fill in all required fields

Somos Contra SPAM!